sábado, 11 de junho de 2016

Geração T

   A ansiedade nos causa sentimentos de inutilidade, de incapacidade de fazer tudo que ela mesmo nos obriga a fazer, isso nos causa princípios de depressão, pois nos sentimos inúteis, sentimos um vazio existencial tremendo que toma conta da nossa mente, mas, na real é que muitos de nós passamos por isso, dias sim e dias não. E isso está cada vez mais evidente na minha geração, talvez seja por causa da quantidade imensa de conteúdos que vemos na internet, a assimilação grandiosa de informações, e a pressão de nos tornarmos o próximo Mark Zuckerberg. Mas, parem e pensem a respeito: É necessário mesmo isso? Porque não começar de vagar; Tipo, se vamos aprender algo novo, alguma atividade legal que queríamos há muito tempo, porque não irmos com calma? Sabe, não queremos ser mestres, mas queremos ser bons no que fazemos, e ganhar destaque, e sermos notados, prestigiados. Todos queremos ter um pouco de atenção, todos nós precisamos disso, para alimentar a nossa auto-estima. Ninguém consegue ser autossuficiente sozinho, precisamos de aprovações, aceitações.
  
  E quer saber? As grandes mentes bem sucedidas só foram realmente notadas na faixa dos 30 anos. É comprovado antropologicamente! Boa parte aliás. Então, adquirir experiência enquanto ainda temos jovialidade é ideal. Buscar viver mais, viver melhor, errar bastante, nos permitir. É isso! Talvez tenhamos tanto medo de nos permitir. Olha, uma coisa que meu pai me disse uma vez, quando queria argumentar do porque eu não buscar fazer um concurso público em vez de estar arriscando meu tempo de vida em uma empresa que não possuí nem investimento inicial:
- Sempre vai existir gente que faz isso melhor que você.
 E passei uns dias pensando nisso, em vez de me ofender, acabei analisando e percebendo que é um fato, sempre vai existir pessoas que fazem o que eu faço melhores do que eu. Tipo, gênios mesmo, a galera que dita as tendências, as regras. E nós vemos essas pessoas fazerem isso todos os dias, lá no Pinterest ou aquelas sacadas legais dos fotógrafos no Instagram, ou gente viajando para outros países no Facebook, fora objetos legais e roupas bacanas no Tumblr. E acabamos nos iludindo com tudo isso. Mas, quer saber? Desapegue! Desapegue de  achar que tem que ser agora. Obviamente não é pra desistir e nem parar de seguir, mas vamos com mais calma. Apenas vamos errar mais. Errar bastante, mas nunca com os mesmos erros, e siga, aprenda, faça o que tenha que fazer. E construa o seu próprio você.

Errarê, geração T.

Adversidades tão próximas

As vezes me pergunto se as pessoas podem realmente dar certo juntas, digo, como um casal. É preciso muita garra pra lidar com tais adversidades no mundo e principalmente uma tão proxima, que envolve sentimentos tão sérios para nós.

Céu-Estrada

Em minha mente existe um céu, esse céu é violeta, não muito claro, não muito escuro, com degradês de roxo, nuvens tortuosas e uma estrada em espiral, essa estrada não desce e nem sobe, ela paira, ela gira. Ela conduz qualquer viajante para qualquer lugar, mas, ela é unica, não tem variantes, não possui vias duplas. Eu não sei bem como andar por ela, apenas sigo, observando a paisagem, para ver até onde ela vai me levar.

domingo, 1 de maio de 2016

Olhar Divagueia

Meu olhar vagueia, divagando sobre as cabeças, os rostos, as faces estranhas da multidão, procurando encontrar-se ao seu, mergulhar-se na multidão dos fios dos teus silhos, sinistros e pontiagudos, contornando o abismo profundo da sua retina, por dentro da carne, dentro da pele que se toca em atrito ao meu corpo quando me beijas. Meu olhar vagueia.

Fones

Meus fones de ouvido sussurram musicas que ousam dizer coisas sobre a minha alma. 

Permições

Permita-me te deixar ou permita-se me deixar ficar.

terça-feira, 5 de abril de 2016

O que escrevo

Talvez você pense sobre mim, caro leitor: - "Este louco escritor escreve bobagens sobre amor."
E talvez você tenha razão. Mas, não é sobre desilusões amorosas, não. É sobre a tristeza alma.